David Ganc

David Ganc lança o quinto CD de sua carreira, Noturno – David Ganc interpreta a música de câmara de Nivaldo Ornelas, onze anos após o lançamento do seu último disco solo.

Referência para gerações de músicos, Ornelas é reconhecido como músico popular de destaque por suas atuações no Clube de Esquina com Milton Nascimento, suas participações nos discos e shows de Egberto Gismonti e Hermeto Pascoal, e por sua obra autoral de 14 CDs.

No disco, David apresenta a produção do saxofonista, flautista, arranjador e compositor de 1980 a 2014, e presta uma homenagem ao amigo, pois o trabalho chega ao mercado pela Mills Records, quando Nivaldo comemora 75 anos de idade.

A amizade de Ganc e Ornelas vem desde a década de 1970 quando o primeiro, integrante da banda “A Barca do Sol”, abria os shows de Egberto Gismonti onde Nivaldo atuava no grupo de acompanhamento “Academia de Danças”. Do convívio dos camarins aos encontros nos estúdios de gravação, esta amizade perdura até hoje.

A música de Noturno se situa na fronteira da música popular com a música erudita. Este foi mais um ponto em comum que conecta os caminhos musicais do intérprete com os do compositor. No CD, David lança luz em uma parcela não tão conhecida da obra de Ornelas, sua música erudita.

Em todas as faixas, Ganc é acompanhado por Maria Teresa Madeira. Teresa é a pianista sideal e indispensável para o CD, pois além de seu conhecido talento, gravou em 1986, junto com Ganc, a primeira obra erudita de Ornelas, o Noturno, que agora, batiza este trabalho. O disco também conta com as luxuosas participações de Zeca Assumpção (contrabaixo acústico), Mingo Araújo (percussão) e Iura Ranevsky (violoncelo), cada um em uma faixa.

O disco abre com Variações para flauta e piano. Gravada em 1990, no LP de Ornelas A Colheita do Trigo, em versão popular com piano, baixo, bateria, o sax tenor de Ornelas e a flauta de Ganc, agora tem sua versão erudita na formação flauta e piano, em três movimentos.

Canção Breve é um singelo tema executado pelo som aveludado da flauta em sol.

Em seu primeiro registro, a Suíte para Saxofone Tenor e Piano em 5 movimentos, pode ser considerada uma ideia central dividida em 5 partes diferentes.

Sentimentos não revelados é uma regravação onde a melodia originariamente gravada com o vocal de Milton Nascimento agora é tocada pelo cello de Ranevsky e a flauta de David.

Canções do Interior (A Praça) faz parte de um caderno de canções para violoncelo. Com o intuito de incrementar a literatura para saxofone e por sua tessitura semelhante, Ganc transcreveu-a para saxofone tenor.

A inédita Suíte Brasil / Holanda em 6 movimentos motivou a gravação deste CD. Iniciada em 1996 e concluída em 2014, faz parte de uma pesquisa histórica, de espectro maior, desenvolvida pelo compositor, sobre o período da invasão holandesa no nordeste do Brasil (1630-1654). Esta é a impressão sonora de Ornelas sobre esta época, mesclando o barroco europeu com ritmos e padrões melódico/harmônicos do nordeste brasileiro.

Os movimentos são: Arrecifes, Praia dos Flamengos, Fortaleza de São Luís, Cana do Reino, Arraial do Bom Jesus e Recife, Oh Linda! O baixo de Zeca Assumpção e a percussão nordestina de Mingo Araújo fundem o balanço brasileiro com a sonoridade erudita.

O disco se encerra com a emblemática música que dá nome ao disco, o Noturno para flauta e piano em 2 movimentos de 1984, primeira peça erudita de Nivaldo Ornelas, que foi dedicada a David Ganc. Por isso, segundo David Ganc “É um ciclo que se fecha. Ao mesmo tempo, outro que se abre”. Ao mostrar ao mundo esta música de rara beleza, Gismonti comenta:

“A MÚSICA do Noturno nos oferece uma janela aberta para qualquer de nossos horizontes… Esse é um belo presente para este mundão aparentemente sem eira nem beira; carente de sonho e paixão além de afeto que aperta o coração até o choro de alegria… Belo presente para nosso país contraditório, miscigenado e autodidata. Bela música de dedicação e paixão.”

Redes Sociais
Miscelâneos
Streaming
Download